LavanderiaAlvejante
22.09.2017

Edredom, cobertor, peças de lã. Como lavar, secar e guardar para usar apenas no próximo inverno


Os dias frios se despedem oficialmente e, então, nasce a certeza de que está mais do que na hora de dar um “trato” em cobertores, edredons e naquelas peças mais quentinhas do guarda-roupa para deixá-las impecáveis, esperando o próximo inverno chegar.

Basta, para isso, seguir as indicações da etiqueta que acompanha cada uma? Isso é importante, sim, mas não só, se a intenção é ter trabalho uma única vez. Ou seja, outros fatores devem ser levados em conta para que, na próxima temporada de inverno, você só precise tirar as peças do guarda-roupa e usar. A gente te conta tudo aqui!

LAVAR

– Os cobertores podem ser lavados em casa, desde que a máquina tenha capacidade para isso (cerca de 15kg). “Use, de preferência, detergentes mais delicados, como aqueles indicados para roupas finas ou de bebê”, explica Ricardo Monteiro, gerente operacional da Quality Lavanderia. Em relação ao amaciante, ele recomenda pôr 40% a menos do que a quantidade indicada pela máquina, já que a peça retém o produto.

– Os edredons volumosos devem ser levados à lavanderia. Mesmo uma máquina com 15kg de capacidade não vai lavar corretamente e, ainda, pode quebrar, em função do peso da peça molhada. “O edredom mais volumoso ficará muito apertado e o centro não será limpo”, explica Monteiro. Além disso, a manta responsável por deixar o edredom fofinho pode perder mais volume do que o que é considerado normal. “Mantas de boa qualidade geralmente perdem 5% de altura (ou volume) a cada lavagem. As de má qualidade chegam a perder 50%”, alerta.

– Os edredons fininhos podem ser limpos na máquina caseira. Para isso, use sabão normal e, como no caso do cobertor, coloque 40% a menos do que a quantidade indicada pelo eletrodoméstico.

Peças de lã não devem ser levadas à máquina, exceto para centrifugar, mas, neste caso, têm de ser colocadas dentro de saquinhos de proteção e você precisa escolher a opção “delicado” do seu eletrodoméstico.
A lavagem tem de ser manual e nunca deve-se usar sabão comum, pois a lã pode encolher ou manchar. O correto é dissolver o sabão neutro líquido (o mesmo de roupas de bebê) em água e, depois, pôr a roupa. “Não estique nem esfregue a peça, para não correr o risco de ela deformar. Deixe-a de molho por cerca de 15 minutos e, então, mexa-a com as mãos na água. Tire-a em forma de bolo e esprema bem, num movimento de compactação, pois a lã não pode ser torcida. Para o enxágue, repita o processo algumas vezes”, indica o gerente operacional da Quality Lavanderia. Outro alerta que ele faz é sobre as manchas. Como não se pode esfregar a lã, a única saída é aplicar um “tira-manchas” que não seja alcalino e, na sequência, lavar normalmente.

SECAR

– A regra que vale para todas – todas! – as peças é deixá-las em um local fresco e ventilado, mas não diretamente sob o Sol. Isso porque ele queima as fibras, pode encolher as peças, caso elas estejam sujeitas a isso e, ainda, deixa as roupas enrijecidas e mais difíceis de passar.

Edredons e cobertores podem ser pendurados em varais, mas peças de lã, não. Caso você opte por não centrifugá-las na máquina, coloque cada uma sobre uma toalha felpuda e enrole-a, para que puxe a umidade.

– Disponha as peças de lã na horizontal (sempre na horizontal) para secar e não use pregadores. Você pode pôr sobre uma toalha no chão, deitadas sobre as “hastes” de um varal de chão…

PASSAR

Cobertores e peças de lã não devem ser passados.

– Passe o edredom normalmente. Caso o ferro seja a vapor, deixe a peça aberta por um pequeno período logo depois e, então, dobre.

GUARDAR

– Nunca guarde as peças dentro dos sacos plásticos usados pelas lavanderias, pois eles podem favorecer o aparecimento de fungos e umidade. O mesmo vale para caixas plásticas ou qualquer outro lugar que impeça a roupa de ter contato com o ar.

– O ideal é envolver as peças limpas em um tecido que “respire”, ou seja, que permita a entrada e a saída de ar, como o TNT. “O tecido protege as roupas do pó, dos ácaros. Se você usar, vai poder apenas tirar a peça do guarda-roupa no próximo inverno e usar. Senão, terá de lavá-la antes, porque não existe produto que ‘mate’ os ácaros. A gente só consegue eliminá-los lavando”, afirma Monteiro, da Quality.

Não, não é nenhum “fim do mundo” guardar as peças dessa forma. Isso porque você não precisa usar uma capa de tecido para cada uma. Não há problema algum em juntar algumas peças e colocar o tecido ao redor delas. O único “trabalho” extra será lavar essas capas quando você precisar tirá-las, na próxima temporada de inverno.

– Uma alternativa às capas de TNT e que ainda resolve a vida de quem dispõe de pouco espaço para guardar a roupa são as embalagens a vácuo. Você coloca as peças dentro delas e, então, suga o ar. O volume diminui e você não precisa se preocupar com pó, fungos, ácaros. Essas “capas”, porém, não são muito aconselháveis para os edredons, pois o aspecto “fofo” deles pode ser prejudicado.

– Se você não tem TNT nem essas embalagens e o jeito é deixar as peças de frio sem qualquer proteção (além do próprio guarda-roupa), sem problema também. A única diferença é que você deverá lavá-las antes do próximo uso.

Comente via facebook
Deixe seu comentário